2 de abr de 2010

É espalhafatoso quando me manda tomar no cu, mesmo sabendo que é só um momento de raiva, que em breve irá passar. Eu tenho paciência por amar.
É constrangedor quando conta de seus casos amorosos do passado, pois mesmo sendo do passado faz ser presente é isso machuca. Por mais que finja não me importar, eu importo. vai ver que é egoismo. vai ver que é o sei lá que nao pode ser descrevido.
Gosto do seu cheiro limpo-sujo, das suas mãos, do seu toque, do seu corpo, de suas palavras nas quais consigo compreender e sentir. Gosto de tudo que vem de você, mesmo sendo o simples tomar no cu.
Eu não sei o que faço pra agradá-lo, pois é difícil já que não estou dentro de você. Mas tenho me esforçado ao máximo pra fazê-lo feliz, e fazendo-o feliz seja uma forma minha de agradá-lo. E não, não é porque quero reciprocidade, é simplesmente um fazer sem pensar em algo futuro. São demonstrações verdadeiras intensificadas em beijos e abraços.