23 de jan de 2010

Mudanças bruscas em minha vida este ano. Sem frescuras com relacionamentos que nada me fazem bem, não pretendo correr atrás de ninguém para ter carinho, atenção ou companheirismo. Quero mais é ficar na minha. Caso apareça, ótimo, senão melhor ainda, acostumar-se consigo é conseguir ser plena.
Chega de sonos,sonhos, desanimos, abstenho-me de qualquer coisa assim, pensar positivo não garante o êxito, mas não me provoca uma ansiedade de insatisfação.
Nunca fui de desistir e não pretendo desistir agora, acredito que sempre existe um recomeço, uma nova vida, um novo meio de buscar o desejável.
Agora comentando aleatoriamente, algo está incomodando, a ignorância de não me importar mais com as pessoas e as coisas. Pensando racionalmente: Elas nunca se importaram comigo.

10 de jan de 2010

Não estou perdida, só não me achei. E, difícil se encontrar em tantas vidas.
Não estou perdida, só não me achei. E, difícil se encontrar em tantas vidas.

5 de jan de 2010

Tenho procurado gostar mais de mim, mesmo que para isso seja necessário esquecer você. Já não aguento mais, a distância, o seu comportamento estranho, às vezes quando acha favorável me ver, falta de ligação e simplesmente uma demonstração de que estou presente, um beijo, uma saudade, uma única coisa aleatória que faça me manter a você.
Não adianta sentir o que você não pode sentir por mim, não adianta nada expor o que quero sendo que você não deseja o mesmo. Não adianta eu ligar sendo que atende com frieza, não adianta eu ir até você, pois não quero só uma noite perfeita, como não quero só perfeição todos os dias, eu queria mesmo é quebrar o gelo que há em você.Queria mesmo ser alguém pra você, mas sei que de alguma forma sou só a doida.

1 de jan de 2010

As pessoas vivem por buscarem em outras pessoas estabilidade, envolvimentos, realizações. Eu encontrei todas estas, já me encontrei e, diferente de várias, eu nao quero mais. Cheguei ao meu limite de existência.
Por mais que a noite faça ser agradável, o som da chuva é reconfortante, a solidão me é intensa e acostumeira, eu quero mais.
As pessoas expressam seus sentimentos, vivências e contam histórias como forma de piadas, gargalhadas... eu, no ano novo, quieta,com as cochas cruzadas, cabisbaixa, olhos sonolentos, simultâneos pensamentos, ouvindo diversas filosofias enquanto eu só queria saber das minhas. Eu não enxergava ninguém além de mim.
Queria correr, fugir, ir pra algum lugar onde novamente eu ficasse com a chuva, a solidão, as palavras em pensamentos, os cigarros e a cerveja.
Como gosto de viver só, mesmo com dores, não crio expectativas, elas já me foram muito decepcionantes. Eu não espero mais ninguém, pois já encontrei alguém. Eu.